Tipos de força

Se você se limitar a uma única definição de força, limitará seu potencial! Busque o melhor de si e saiba fortalecer sua estrutura para alcançar seus objetivos

As pessoas gostam de falar – e se gabar – sobre força hoje em dia, como se fosse fácil definir. Músculos exuberantes não significam força e nem mesmo a quantidade de flexões que alguém consegue fazer. Podemos falar, na verdade, que existem 3 tipos de força que todo mundo – todo mundo mesmo – precisa treinar.

Independentemente do seu objetivo, seu treino deverá trabalhar três forças principais de acordo com estudos recentes. E vamos explicar sobre elas para você.

Tipo de força 1: Força do core

A força do core quase parece um clichê, mas é crucial para proteger sua coluna – não por acaso aqui na CHASE temos vários treinos para o core – veja aqui! De fato, quando se trata de encontrar aquele ponto ideal de desempenho, segurança e qualidade de vida, a força do core é provavelmente o tipo de força mais importante que você pode ter.

O que é o core e porque a força nele é importante?

O core é a parte que une a parte superior e inferior do corpo. Não é incomum ver atletas cujo corpo superior ou inferior é brutalmente forte em isolamento, mas que se desintegram quando solicitados a realizar levantamentos ou penam muito em uma aula de ioga.

Segundo: a força do core é fundamental para a prevenção de lesões. Quando o núcleo é fraco, os seres humanos têm uma tendência natural a adotar uma posição de extensão da coluna vertebral – ou inclinar-se para trás – principalmente na região lombar. Para muitas pessoas, essa posição precária é como eles passam seus dias, sentados em frente ao computador.

Por último, mas não menos importante, fortalecer o seu core pode ajudar no seu desempenho nos treinos.

Mas o que significa ter força no core?

Mais do que qualquer outro grupo muscular, a força no core deve ser equilibrada. Ele deve ser capaz de resistir à tendência da coluna vertebral de se curvar a extremos prejudiciais a ela, como:

  • Anti-extensão (para trás)
  • Anti-flexão (para a frente)
  • Flexão anti-lateral (para os lados)
  • Anti-rotação (torção)

Um treino bom é aquele que vai impedir que ocorra o movimento em cada uma dessas áreas. Assim, você vai ficar com um core forte, saudável e equilibrado. E, embora haja valor no trabalho isolado do core, existem exercícios de mobilidade que você pode incorporar nos seus treinos regulares para aumentar a força do core de maneira global.

Tipo de força 2: Força máxima

Você pode não aspirar a ser um levantador de força de classe mundial, mas mesmo assim trabalhar sua força máxima. Força máxima é o quanto de peso você consegue levantar de forma perfeita em cinco repetições. Apesar de não ser totalmente preciso esse cálculo, é um bom parâmetro para você ver a quanto anda sua força máxima.

O treinamento de força máximo é importante porque enfatiza o sistema nervoso e não apenas o sistema muscular. Quando você treina com pesos pesados, seu corpo é forçado a se tornar mais eficiente, ativando e desativando os músculos certos em uma determinada sequência.

Como é um trabalho do sistema nervoso, é importante para você que pratica de corrida a ciclismo, que quer emagrecer ou apenas levar uma vida saudável.

Ao treinar para obter força máxima, sua seleção de exercícios é fundamental. O ideal são os exercícios compostos, como:

  • Variações de agachamento (frente e verso) – aprenda a fazer aqui.
  • Variações de levantamento terra (barra de sumo, convencional ou armadilha)
  • Supino
  • Pull-up

Se você basear seu treinamento nesses quatro exercícios por um ano, com o único objetivo de se fortalecer neles, você verá grandes mudanças não apenas em sua força, mas também em seu físico.

Tipo de força 3: Força Explosiva

Qual é a primeira qualidade física que perdemos à medida que envelhecemos? Claro, você perderá algum músculo e força, mas a primeira qualidade que você perde é realmente poder ou a capacidade de mover as coisas rapidamente.

Embora nossas metas mudem à medida que envelhecemos, isso não significa que não queremos ou precisamos da capacidade de correr rápido, pular alto ou andar rápido. Ele se une aos outros dois tipos de força discutidos em um pacote atlético e coordenado, tornando-o o melhor guerreiro do fim de semana que você pode ser.

Como trabalhar essa força?

A força explosiva pode ser dividida em duas categorias:

  • Força-velocidade: Movendo coisas pesadas o mais rápido possível
  • Velocidade-força: Movendo coisas leves de forma explosiva

A velocidade da força incluiria exercícios como os levantamentos olímpicos ou variações do arremesso ou arrancada. Eles não são tão pesados ​​quanto um levantamento terra ou agachamento de esforço máximo, portanto a velocidade que você levantará a barra será consideravelmente mais rápida.

No que diz respeito à força da velocidade, você pode incluir nos seus treinos arremessos de medball e exercícios de salto.

Falando neles: Saltos são outra opção que funcionam incrivelmente bem. Mas não sinta na necessidade de pular direto para o salto vertical com esforço máximo. Comece com progressões básicas, como saltos baixos, onde seu único foco é conseguir pular. Sempre desça suavemente após cada repetição. A caixa é uma ótima ferramenta – quando usada corretamente -, pois reduz as forças e o impacto excêntricos, especialmente no início de um programa.

Todo mundo deve trabalhar os três tipos de força

Imagine uma mesa de quatro apoios. Caso um dos pés esteja meio bambo, com uma parte faltando ou fraco, a estrutura inteira fica comprometida. É a mesma coisa quando pensamos nos tipos de força. Trabalhe todos eles para atingir uma estrutura física saudável e que, inevitavelmente, fará você alcançar seus objetivos.

E aí, como anda sua força? Conta pra gente o que você faz para trabalhá-la da melhor forma!

E continue de olho no blog #teamchase e não perca o Programa Definição em Casa – treino novo toda semana para fazer em casa!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta